Avaliando a dinâmica e o equilíbrio do Spread Bancário na experiência brasileira através de um modelo DSGE estimado com fricções financeiras, inflação tendencial e crescimento endógeno

O spread bancário no Brasil é notoriamente elevado em comparação a outros países no cenário internacional. Utilizamos um modelo Modelo Dinâmico Estocástico de Equilíbrio Geral (DSGE) concebido por Lorena & Olmos (2014) para estudar a experiência brasileira do spread bancário elevado. Mostramos a existência de uma região no espaço paramétrico do modelo onde o equilíbrio se dá em coexistência de spread financeiro e taxa de juros neutra elevados, crescimento potencial baixo e certas disfuncionalidades do mercado financeiro. Por fim, confrontamos o DSGE proposto com os dados em uma estimação Bayesiana através do método de Monte Carlo Markov Chain (MCMC) buscando determinar a sua adequação para explicar os dados econômicos nacionais levando em consideração a região do espaço paramétrico descrita.

Filipe Coutinho Pereira.

02/08/2017

Orientador: Waldyr Dutra Areosa.

Banca: Christiano Arrigoni Coelho. Marcelo Cunha Medeiros.

Avaliando a dinâmica e o equilíbrio do Spread Bancário na experiência brasileira através de um modelo DSGE estimado com fricções financeiras, inflação tendencial e crescimento endógeno

Nível: Mestrado Profissional