O impacto do crédito subsidiado via repasses públicos na potência da política monetária no Brasil

Estudei a transmissão da política monetária via canal de crédito com uma base mensal dos balanços dos bancos brasileiros de 2003 a 2017. Concluí que bancos que ofertam mais crédito subsidiado pelo governo e proveniente de capta-ções compulsórias são menos sensíveis a variações da política monetária. Dessa forma, ao manter uma política de incentivo econômico via expansão do crédito, o governo está obstruindo esse canal de transmissão e consequentemente reduzindo a potência da política monetária. Adicionalmente, concluo que os bancos continu-am rebalanceando sua carteira de crédito meses após o choque monetário, o que corrobora a visão de Bernanke & Blinder (1992) de que os bancos não desfazem seus contratos de crédito vigentes, mas apenas se recusam a fazer novos. Por fim, verifico um efeito de flight-to-quality em períodos de aperto monetário e menos liquidez na economia. Bancos tendem a reduzir mais seus créditos de alto risco do que os créditos de baixo risco. Entretanto, ao manter um alto volume de crédito subsidiado e proveniente de depósitos compulsórios esse efeito é mitigado.

Rafael Gama da Silva.

09/08/2018

Orientador: Pablo Hector Seuanez Salgado.

Co-orientador: Arthur Amorim Bragança.

Banca: Márcio Gomes Pinto Garcia. Luiz Felipe Pires Maciel. Augusto Cesar Pinheiro da Silva.

O impacto do crédito subsidiado via repasses públicos na potência da política monetária no Brasil

Nível: Mestrado Profissional